segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

EQUIPE DO PREFEITO ADEMÁRIO PARA INICIO DE 2017. ADEMÁRIO QUER PACTO

Equipe anunciada – Governo (Chefia de Gabinete), Cesar da Silva Nascimento; Assuntos Jurídicos (acumulando Auditoria e Controladoria), André Castro Oliveira; Procuradoria-Geral, Rogério Molina Oliveira; Subprocuradoria-Geral, Fábia Margarido; Planejamento, Pedro de Sá Filho; Assistência Social, Sebastião Ribeiro do Nascimento, o “Zumbi”;Segurança Pública e Cidadania (acumulando a CMT – Companhia Municipal de Trânsito), Jefferson Dias Gomes Neves Cansou; Comunicação Social, Renata Rocha;Manutenção e Serviços Públicos (acumulando Emprego e Desenvolvimento Sustentável), Juliana Soares João; Meio Ambiente (acumulando Turismo e Esportes), Mauro Haddad Nieri; Gestão, Ivani Maria Bassotti; Finanças, Maurício Stunitz Cruz;Habitação (acumulando Obras), Benaldo Melo de Souza; Educação (acumulando Cultura), Raul Christiano; Saúde, Sandra Furquim; Caixa de Previdência dos Servidores, Lucidalva Oliveira Almeida Santos; e CURSAN – Companhia Cubatense de Urbanização e Saneamento, Edson Salvo Melo.
Ao discursar na noite deste domingo, (01/01) na Câmara Municipal, após tomar posse como 20º prefeito da história de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira apresentou um diagnóstico da situação crítica em que se encontra a cidade e propôs um pacto entre todas as forças sociais e políticas locais em busca da recuperação do Município.

Ademário revelou que as dívidas de Cubatão somam, hoje, entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão, equivalendo a um orçamento anual da Prefeitura. "Diante desse quadro é que proponho um pacto com esta Casa e com todas as forças sociais e políticas organizadas e representativas de nossa Cidade, para atuar de forma transparente e bem planejada, em busca das soluções necessárias, tanto do ponto de vista econômico e financeiro, quanto das carências gritantes".

O prefeito discriminou as dívidas levantadas por sua equipe de transição de governo: restos a pagar não dimensionados, que estão entre R$ 200 e R$ 400 milhões; dívida da Companhia de Urbanização e Saneamento (Cursan), de R$ 70 a R$ 100 milhões; dívida com a Caixa de Previdência dos Servidores Municipais, de R$ 100 milhões a R$ 500 milhões e estoque de precatórios, de cerca de R$ 200 milhões.

Ademário disse que Cubatão vive "uma crise sem precedentes".  Apresentou, como causas, o fracasso econômico do País, devido ao abandono das regras fundamentais de estabilidade econômica dos governos do ex-presidente Fernando Henrfique Cardoso, e,principalmente, "pelo fracasso do governo municipal que vamos suceder, por tamanha irresponsabilidade administrativa ao longo dos últimos oito anos".

Para - segundo explicou - reforçar a necessidade da compreensão e apoio da Câmara Municipal, Ademário informou que a Cidade encontra-se em total desorganização administrativa, caracterizada por: subaproveitamento de recursos humanos (várias áreas com falta de pessoal e quadro inchado de servidores); falta de estrutura de informação adequada que subsidie o cidadão; falta de comunicação entre áreas administrativas (citou como exemplo o setor jurídico); burocracia e demora nos processos internos; equipamentos públicos, como escolas e unidades de saúde, em estado de precariedade. "Cubatão perdeu a direção", resumiu o prefeito.

Para reafirmar sua disposição de ânimo, na busca de soluções, Ademário lembrou o ex-governador Mário Covas, que disse certa vez que, diante da adversidade, só há três atitudes possíveis: "enfrentar, combater e vencer". Recordou, também, frase proferida pelo presidente Barack Obama ao assumir a presidência dos Estados Unidos e falar sobre as dificuldades encontradas: "Os desafios que nós enfrentamos são reais. Eles são sérios e são muitos. Eles não serão vencidos facilmente ou em um período curto de tempo. Mas saiba disso: eles serão vencidos".

O prefeito descreveu alguns passos que serão seguidos por seu governo em busca da recuperação da Cidade:  1) corte ou congelamento de provimento de cargos comissionados; 2) enxugamento de outras despesas correntes menos relevantes, como frotas de veículos, combustíveis e aluguéis; 3) prioridade na regularizaçãso do pagamento dos servidores públicos, visando à manutenção de serviços essenciais como Saúde, Educação e zeladoria urbana; 4) reforma do estatuto do funcionalismo, adequando estrutura de carreira e alocação de servidores às reais necessidades da administração, com valorização dos servidores; 5) reforma administrativa que enxugue a máquina e a torne mais eficiente e 6) reabertura do Hospital Municipal, assim como a obtenção da normalidade dos serviço de saúde, em todo o município.

O vice-prefeito Pedro de Sá Filho fez breve pronunciamento antes de Ademário e após assinar o termo de posse. Colocou-se à disposição da Câmara Municipal, do prefeito e da população. "Que nosso prefeito tenha sucesso em sua nova investidura".

A solenidade foi coordenada por uma mesa provisória, presidida pelo vereador Antonio Vieira da Silva, (por ter sido o mais votado eleições de outubro) e tendo como integrantes Ivan Hildebrando da Silva, primeiros secretário, e Marcio da Silva Nascimento, segundo secretário. Na primeira parte houve a tomada de juramento e leitura  do termo de posse dos vereadores eleitos em outubro: Antonio Vieira da Silva (Toninho Vieira); Cesar da Silva Nascimento, Rodrigo Ramos Soares (Rodrigo Alemão), Wilson Pio dos Reis - Coligação PSDB/DEM; Ricardo de Oliveira (Queixão), Aguinaldo Alves de Araujo - Coligação PDT/PSD/PROS; Fábio Alves Moreira (Roxinho), Sergio Augusto de Santana (Sérgio Calçados) - Coligação PMDB/PPS; Rafael de Souza Villar (Rafael Tucla), Jair Ferreira Lucas (Jair do Bar) - Coligação PT/PV/PEN; Ivan da Silva (Ivan Hildebrando), Márcio da Silva Nascimento - Coligação PSB/PMB; Anderson de Lana Andrade (Dr. Anderson Veterinário), Joemerson Alves de Souza (Cleber do Cavaco) - PRB; e Laelson Batista dos Santos (Lalá), do Partido Solidariedade (SD).

O prefeito, antes de se dirigir ao Bloco Cultural, onde daria posse aos novos secretários municipais, quebrou uma tradição, assistindo a eleição e posse da nova mesa da Câmara, que ficou assim formada: presidente, Rodrigo Ramos Soares (Rodrigo Alemão); vice-presidente, Ricardo de Oliveira (Queixão); primeiro secretárioMárcio da Silva Nascimento (Marcinho) e segundo secretárioSérgio Augusto de Santana (Sérgio Calçados).
FONTE; PMC

Um comentário:

  1. Olá. O nome do Secretário da Sejur/Audit é André Castro Carvalho.

    ResponderExcluir